February 05, 2017

Working with kids #7


Trabalhar com crianças tem sido uma experiência muito boa, normalmente ganhamos mais do que perdemos e damos tanto quanto recebemos. Até porque crianças da idade dos meus não dizem que gostam sem gostar, não dão beijinhos sem querer e não nos ligam se nós não soubermos lidar bem com eles. É como se eles tivessem um botão muito pequenino que desligam se aquela pessoa não lhes interessar. Felizmente ao que parece esse botão pequenino não é desligado para mim nunca e isso faz-me chegar a casa satisfeita. Há sempre um motivo, uma história ou qualquer outra coisa que trago comigo. Um sorriso, um beijinho, uma graçola, que torna os dias diferentes. As malandrices e as traquinices fazem parte e sabendo gerir todas essas particularidades de cada um, sabendo acalmá-los quando estão demasiado agitados e enérgicos faz-nos ganhar dezenas de razões para nos sentirmos bem connosco e dar boas notícias lá para casa. Não queremos que os nossos pequenos sejam parados. Não existe pai, mãe, tio ou tia, avô ou avó que o queira. E nós, que trabalhamos com eles, também não. Queremos que as crianças tenham energia, que se mexam, corram e saltem. Só temos de encaminhá-las, de mostrar que há tempo para tudo e que por vezes temos de ter um tempo para nos sentarmos e ouvir uma história, para nos sentarmos e acalmarmos, para irmos para casa mais calmos. Acima de tudo para que depois o tempo que os pais tem seja bem aproveitado e que na manhã seguinte possamos ouvir «o nosso filho está mais calmo». 

1 comment:

  1. E aprendemos tanto mas tanto com eles :)
    Bjinhosss
    https://matildeferreira.co.uk/

    ReplyDelete