December 19, 2016

Working with kids #6 | Christmas


Dizem por aí que o natal é altura de dar e receber. E se falarmos de dar e receber a atenção e o carinho dos mais pequeninos, provavelmente estaremos a juntar o melhor de dois mundos. O mundo onde existem luzes de várias cores, onde aparecem as bolas com brilhantes na árvore e o mundo onde existem as crianças a viver estes pequenos momentos. Eu encaixo-me lá no meio delas e no meio desta festa toda que é feita por elas e com elas, a dançar e a cantar ao som da música «é natal, é natal, tudo bate o pé...» e não me importo nada de aparecer por lá. Pelo contrário. Se não pudesse estar lá a fazer essas figuras cómicas e a partilhar esses momentos com todos os pequeninos é que era mau


Saber que damos miminhos bons ao ponto de ganharmos novas alcunhas, como Nana, é bom. Saber que quando não estamos ou que quando acontece alguma coisa, pedem para ligar à Joana, é bom. Falarem de nós quando não estamos reflete que o nosso trabalho estará sem dúvida a ser bem feito. Não existe nada mais sincero do que qualquer criança. Elas são sinceras sem saberem. Elas são verdadeiras acima de tudo. E é por isso que não me importo de me levantar da mesa de natal e me sentar no chão com eles, dar abraços se houverem birras e limpar as lágrimas porque o carrinho está na mão do amigo que o roubou por dois segundos. Se não fosse assim, provavelmente não valeria a pena. Só vale porque assim o é. Porque estamos lá para nos zangarmos com eles quando assim precisam, mas também estamos para dar os melhores miminhos do mundo que eles precisam. 

É altura de dar, de receber e sobretudo de mostrar de quem se gosta - pelo menos eu ouvi dizer que é nesta altura que se aproveita - e eu vou aproveitar, aproveitar para repetir mais uma vez que as crianças são o melhor do mundo e que nos permitem arrancar sorrisos sempre, aproveitar para dizer a verdade, e a verdade é que podemos ser felizes a fazer aquilo para o qual nascemos com toda a certeza.

No comments:

Post a Comment