April 14, 2016

Sobre o MMA


Cheguei agora a casa, e após duas manhãs ouvir falar continuamente sobre este assunto, deparei-me ainda com uma notícia do Observador que pode dar algumas ideias para quem como eu pouco sabe sobre o que é o MMA. Pela discrição que lemos, não é difícil perceber o que é, é uma Arte Marcial Mista (em inglês, Mixed Martial Arts), ou seja, combate-se com técnicas de lutas no chão e também em várias posições em pé. Até aqui tudo bem, não é? Surgiu nos anos 90, por isso não foi há tantos anos como isso que este tipo de luta começou a existir. E por esta altura certamente que já entenderam onde é que esta conversa toda vai acabar, mas antes de ir parar onde já todos sabemos. Falta-me dizer que sempre tive um irmão que praticou artes marciais, que já praticou kickboxing e eu sempre vivi muito  bem com isso, até porque a probabilidade de ele não regressar a casa era diminuta. Era um desporto como qualquer outro. Sinceramente acho que o vi praticar uma carrada de coisas a vários níveis. Nada de estranho. Nunca passou de hobbie de ginásio.



Para todos aqueles que passa de hobbie de ginásio, eu compreendo perfeitamente que seja por gosto. Aliás, acho que não conseguiria engolir que me dissessem o inverso. Estes lutadores se lá estão e se praticam este género de luta como o MMA tem de ser por gosto. Apesar de todas as regras e de todos os cuidados que os próprios têm com o seu corpo, azares acontecem e erros também. 

Honestamente, cada vez entendo menos se o que aconteceu naquele momento foi algum erro, se foi um azar, se foi uma reação do corpo, ou outra coisa qualquer. Não faço a mais pequena ideia. É claro que quem entra nestas lutas, sabe que não entra para que lhe passem a mão pelo pelo, sabem que ao entrarem ali é para dar e para levar. O que não sei é se como qualquer outro ser humano conseguimos discernir e compreender os riscos que realmente cometemos. É verdade que andar de carro pode ser um dos maiores riscos e grande parte de nós anda de carro e de transportes públicos diariamente para irmos trabalhar e nem pensamos nisso. E vamos. O que faz confusão a todos nós portugueses, é que um português morreu em combate, não sabendo se a razão passou por um acidente, por um exagero, por um erro ou até mesmo por uma tentativa parva do ser humano tentar aguardar ao máximo e não desistir de algo que queremos muito. Simplesmente sabemos que ele morreu e depois começamos a debatermos contra uma série de ideias. 

Eu que não entendo nada de lutas, custa-me engolir a ideia de que alguém perde a sua própria vida assim, por dá cá aquela palha. Mas é o "dá cá aquela palha" para mim. Como disse, ali em cima, quem é que me diz que não foi uma tentativa de se superar? Quem me diz que não foi antes dos tais golpes antes do final do combate? Francamente que eu não sei. Sei que aconteceu assim, como todos sabemos. Mas só sabemos o básico. O que passou para cá. Pode ter sido uma série de coisas, mas o que nós sabemos é que ele acabou com lesões cerebrais sofridas dentro daquele ringue. O resto vão ser eternas suposições. A única coisa certa é que ele queria estar lá, que, infelizmente, não correu bem ou até mesmo falhou.

Post a Comment

Latest Instagrams

© Joana. Design by Fearne.