March 29, 2016

Sobre... "Ela é linda sem makeup!"

Desde o alta definição do fim-de-semana que queria escrever sobre isto. Entenda-se que digo isto porque não é só sobre a música ou o que ela passa para cá. Para quem não sabe ou não viu, o alta definição teve como convidado o Agir e se para algumas pessoas ou muitas até, seria um alta definição que poderiam passar bem sem ver, eu queria mesmo vê-lo. Não vi à tarde, mas vi à noite. As novas tecnologias dizem que agora é possível. 

Honestamente queria ver este alta definição porque acho que iria ser precisamente aquilo que foi. Para quem não lhe acha muita piada, pôde vê-lo de uma forma que provavelmente a maioria das pessoas não acha que seja possível. Ainda vivemos num mundo onde somos criticados se formos diferentes, se tivermos muitas tatuagens. É algo que às vezes me faz confusão, mas é o mundo que temos. "Ah aquele ali tem montes de tatuagens e piercings e alargadores". Ok, eu até posso não querer para mim, e só gostar das tatuagens ou dos piercings, mas não preciso apontar o dedo até ao morrer. Vi o programa com o meu namorado por perto e disse umas quantas vezes que sempre gostei de o ouvir, mesmo quando passou pelas fases de devaneio total, como ele disse. A verdade é que as músicas sempre tiveram qualquer coisa que as fazia ter qualidade. Pela sonoridade, pela simplicidade ou pela capacidade de criar frases simples, sem grandes coisas. Menos é mais. Algumas músicas ficavam comigo pelas letras, pelo que me faziam sentir ou se encaixarem na minha vida, outras era só por serem divertidas. Às vezes também é preciso, não concordam? Não temos de estar sempre a ouvir a maior sinfonia ou a voz que atinge as maiores notas do planeta e olhem que eu gosto de vozeirões.

Acho que sempre que eram lançadas novas músicas, havia pelo menos uma ou duas que me faziam continuar a gostar e isso quer dizer qualquer coisa. Se calhar agora todos sabemos cantarolar "O tempo é dinheiro" ou "Como ela é bela". Mais recentemente, coisa de dias, saiu a música "Makeup" e já conseguiu mover imensas raparigas e mulheres. Eu ainda não tenho a minha fotografia, mas hei-de ter. Para mim a música faz todo o sentido. Surgiu no momento certo. E a nossa sociedade anda a precisar destas coisas. As raparigas andam a precisar destes abanões. Eu maquilho-me e gosto de fazê-lo. Sempre o fiz e desde muito cedo. Sem exageros (e é aqui que reside a diferença). Como o próprio Agir diz, esta música não é nada contra a maquilhagem, nem tão pouco mais ou menos. A música é pela valorização pessoal, pelo gostar de olhar ao espelho e um shake shake shake aos valores do nosso dia-a-dia. 

Não somos mais perfeitas por usarmos maquilhagem. A maquilhagem dá jeito. Esconde as olheiras, faz com que tenhamos uma cor mais normal se formos muito brancas, pode fazer-nos estar mais apresentáveis, mas é ao final do dia que somos nós mesmas e a maquilhagem sai. Não fica connosco. É quando nos deitamos ao lado de quem amamos que somos nós, naturais, e é aí que essa pessoa olha para nós. Não somos eternamente jovens ou bem encaradas. Há dias piores. 

Mais uma boa música. Mais uma razão para continuar a ouvir Agir.
https://www.youtube.com/watch?v=TAU7FBfj5EM [Agir - Makeup]

11 comments

  1. Adorei a entrevista, acho que a história de vida dele é uma inspiração. Não sou grande fã do trabalho dele, mas a entrevista tocou-me. :)

    ReplyDelete
  2. adorei ver este alta definição! Grande personalidade!

    ReplyDelete
  3. Ainda não tive a oportunidade de ver a Alta Definição,mas quero muito ver,sabia que ele ia fazer a entrevista ,mas com a tua opinião ainda estou com mais vontade de ver sem dúvida. E sim Música é a minha Religião, e aprecio vários estilos de Musica e de Várias Idades também. Obrigado pela tua Opinião.Gostei Muito,Beijokas
    ❤ Célia Santiago
    Diário Feminino
    FacebookInstagramYouTube

    ReplyDelete
  4. Eu não vi o programa, não por essas rapzo~es, simplesmente porque não é costume ver.
    Eu posso não gostar de o ver assim achar que lhe favorecia mais não ter tanta coisa mas não o julgo por tal,cada um é como cada qual.
    Beijos
    Cantinho da tequis
    Facebook Cantinho da tequis

    ReplyDelete
  5. Oh.. Que lindo o teu texto Joana.
    Adoro o AGIR. A imagem dele não é comum, não. Mas concordo contigo... Nota-se algo de especial nas músicas dele, as letras que ele escreve são diferentes também, mas muito especiais. Consegue compor de uma forma única. Torna cada música uma melodia para os nossos ouvidos. Eu gosto. Ainda não tive oportunidade de ver a entrevista, vi apenas a publicidade. Fiquei curiosa, sim. Irei ver também.
    Ao ler o teu post, nem pensei duas vezes. Fui ao site e já aderi ao movimento. :) Não temos que ter medo dos nossos defeitos. Afinal, quem os tenta esconder, provavelmente esconde mais defeitos do que nós próprias.
    Beijinho enorme*
    Lu, blogdamamalu.blogspot.com

    ReplyDelete
    Replies
    1. Acho sinceramente que o problema principal é o povo gostar de ser critico ao que é diferente, sabes? Eu também não uso alargadores, não gosto, mas e depois? Pronto, é menos normal, sim... mas não é isso que fará dele x ou y e eu acho que ao longo dos anos a postura melhorou bastante. Enfiiiiiim, pessoas!

      Beijocas linda *

      Delete
  6. Eu vi a entrevista e adorei. Acho que as pessoas têm uma imagem dele (por causa das ditas tatuagens e afins) que não é a correcta. Ele tem muita cabeça e ter ultrapassado aquilo que ultrapassou só prova isso. Quantas não são as pessoas que entregam a vida toda? Para além disso adoro-o como músico. Já fui a dois concertos e em Maio vou ao terceiro! As músicas e as letras provam muito talento, sem dúvida!

    ReplyDelete
    Replies
    1. Confesso que nunca fui a nenhum, mas até gostava de ouvir ao vivo. Até porque acho que melhorou imenso a vários níveis. De certeza que não é o único que teve uma fase em que alucinou ou algo do género.

      O povo português ainda é conservador e irá sê-lo durante muito mais tempo mesmo!

      Delete
  7. Concordo plenamente com tudo o que tu disseste :) acho a música linda e sinceramente tenho pena de ter ouvido tantas críticas em torno dela! Muitas mulheres sentiram-se atacadas porque pensaram que a música era contra o uso de maquilhagem quando não é nada disso...
    Beijinhos *

    http://chique-e-geek.blogs.sapo.pt/

    ReplyDelete
  8. Obrigada por "passares para o papel" tudo o que sinto/penso em relação ao Agir! É exactamente o que escreveste :) Eu sou fã!

    ReplyDelete
  9. Muito boaa a entrevista, só conhecia de ouvir o nome e algumas músicas. Foi muito inspirador assim como o teu texto! Temos mesmo que ir abrindo os olhos a nós mesmos e a outros, sobre a diferença que há me cada ser humano!!
    Beijinhoo :) *

    ReplyDelete

Latest Instagrams

© Joana. Design by Fearne.