December 23, 2015

David, não tinha de ser assim... | Sobre notícias #19

Ontem estava ao telemóvel e comecei a ler uma outra carta escrita por um jovem de 29 anos e só depois cheguei à carta escrita pela namorada. Foi lá que pude perceber o que realmente tinha acontecido. Não se admite. É um choque enorme. Infelizmente, qualquer um de nós podia ser o David e podia ficar numa cama daquele hospital, simplesmente a aguardar que nos pudessem salvar. Era só esse o nosso pedido, não era? Infelizmente o desfecho foi o pior de todos. E foi aí que decidi escrever-te. 

Se quiserem partilhar a publicação, sintam-se à vontade. Usem o link da publicação.



David, e se fosse eu? E se fosse alguém da minha família? E se fosse o meu namorado? Só a tua namorada sabe o que sentiu e o que está a sentir hoje enquanto escrevo isto. E se fosse um de nós, seria precisamente igual, porque ninguém se preocupa, porque não existem condições e quase mais parece que vivemos no terceiro mundo. Podia não ser nada fácil, podia, mas tu precisavas de ajuda. Precisavas que te esticassem a mão e não te deixassem morrer, como deixaram. Conseguiram dar-te uma sentença de morte praticamente mal puseste um pé dentro do hospital. Enviaram-te para um hospital que não tinha nada para ti. Foi azar teu, não é? Não foi nada David. Foi falta de informações no nosso sistema de saúde. Foi falta de muitas coisas, mas nunca azar teu. O teu azar foi teres precisado deles. Sabes, o medo com que se fica de um dia irmos nós lá parar é assustador. Ninguém sabe o dia em que vai precisar. Tu também não sabias. Se pudesses escolher tenho a certeza que naquele dia estarias a fazer qualquer outra coisa em vez de ires a caminho do hospital. É assustador. E se não estiver lá ninguém para nós? Este sistema cansa-me. Às vezes tira-me anos de vida. Será que não vou ouvir uma notícia boa? Será que todas estas coisas que acontecem não servem para mudar? Mudar para melhor? 

Escolheste um dia mau para precisar dos médicos, David. Porque é que não escolheste outro dia qualquer? Uma quarta-feira, assim a meio da semana. De certeza que aí já estaria alguém presente para te salvar, em vez de seres condenado à morte. Tenho quase a certeza que até certo ponto percebeste que não estava lá ninguém para te dar a mão, sem ser a tua família. Se não fosse a tua namorada incansável, nem sei. Acredito que ela se tenha sentido impotente, qualquer um se sentiria assim. E agora? Onde foram os teus 29 anos? Guardados numa gaveta? Estão perdidos. Estão perdidos para sempre, porque te faltou viver muitas coisas e te faltou ser feliz e saíres daquele hospital o melhor que fosse possível. 

Oh David... se soubesses a revolta que vai entre o povo. Se soubesses o choque que foi saber que um jovem, chamado David, que nós não fazíamos ideia quem eras, esteve sem assistência e acabou por perder a vida, só porque era fim-de-semana... 

Não existem palavras David. Não existem. 

13 comments

  1. Incrível este teu texto. Se há coisa que mais me assusta nos dias de hoje é ficar doente e ter que ir para um hospital. Só as horas de espera, dão-me arrepios.

    Esta semana o meu pai teve uma crise de coluna e não aguentava as dores, teve que ir aos hospital e esteve quatro horas com pulseira verde para lhe darem um medicamento. Não é admissível este tipo de coisas e muito menos um hospital não ter médicos de especialidade para socorrerem pessoas como o David. Portugal faz-me lembrar aqueles países do terceiro mundo.

    RIP David.

    ReplyDelete
    Replies
    1. Infelizmente é o que temos Ana.

      Eu tive uma tia há uns anos também no hospital. Ficou na área das urgências já nem sei quanto tempo, mas sei que foram dias, e eu só a via a piorar. Foi uma altura complicada. Hoje está "bem".

      Obrigado por estares atenta!

      Delete
  2. Não vale a pena, cada vez que leio algo em que aborda a saúde é sempre algo que nunca é bem fundamentado. Fez esta carta para o David, mas tem outros tantos que também mereciam uma carta porque, como ele, não existiam profissionais de saúde. E não é por não quererem trabalhar, grande parte é porque foram "mandados ficar em casa" porque não existem € para lhes pagar. É giro dizerem isto de irem outro dia da semana, quando na realidade o SNS está assim por vossa causa.
    E podia dizer muito mais, a sério que podia. Mas não vou, porque quem fala assim é quem não conhece a realidade.

    ReplyDelete
    Replies
    1. Cada um tem a sua opinião, contudo, este texto não é sobre saúde. Não sou médica. Sou apenas humana e alguém morreu porque não haviam condições, porque não haviam médicos. Isso deve-se a quem governa o nosso país. Somos todos que lá os colocamos, por isso não é por vossa culpa, mas sim de todos. Pelo menos pela forma como comentaste este texto. O texto não é todo ele real, o dia da semana é apenas ironia. E eu sei como funciona o sistema infelizmente e sei o que é ter alguém a necessitar de melhores cuidados e alguém a esperar mais de 6h.

      Acima de qualquer opinião este foi um texto meu, um texto com aquilo que sinto perante a situação e não algo que deva ser fundamentado. O que aconteceu não está certo... Só isso.

      Os médicos mereciam mais, sim mereciam.

      Delete
    2. Estás enganada numa parte, não somos todos. As coisas estão mal mas mesmo assim as pessoas não fazem nada, não se juntam, não lutam para ter direito a um sns melhor (e isto é um exemplo). Eu luto e levo por tabela por isso. E não só os médicos todos merecem melhores condições e esta história é uma entre muitas, infelizmente. E todos conhecemos o tempo de espera doloroso, do jeito como isto está... É uma constante que tem de ser mudada. Com isto devemos todos lutar por melhor para não acontecerem mais situações destas.

      Delete
    3. Agora já me parece que estamos a falar a mesma língua digamos assim. Não me poderias ter dito "culpa vossa" porque na verdade não nos conhecemos e estas questões nunca aconteceriam se eu pudesse chegar-me à frente, mas em Portugal um não faz a diferença, por muito que queira, temos de nos chegar à frente. Mas quem está no puder tem a faca e o queijo na mão... Ate que haja outra revolta...

      Delete
  3. Um texto tocante e que realmente nos deixa a pensar, tal como a carta da namorada do David e até mesmo a situação em sim. É triste, trágico e completamente desnecessário e leva-me a pensar que se nem os médicos salvam vidas, quem é que as vai salvar?

    O atendimento médico em Portugal está cada vez pior. Tive, este fim de semana, o exemplo de um familiar que fraturou a tíbia no sábado à noite e foi operado apenas hoje de manhã. Na minha opinião, completamente desnecessário.

    Que o David descanse em paz e que o número de David's não aumente.

    Beatriz, do Bookaholic

    ReplyDelete
  4. O David é um em TANTOS, porque não se fala dos outros? Do fulano que foi lá com um principio de AVC e deram-lhe uma pulseira amarela, esperou 4h e morreu na sala de espera com um novo AVC? Irrita-me, não o teu texto, mas esta incrível polemica à volta do rapaz que morreu. Porque não haviam médicos ao fim-de-semana? Mas isso é o prato do dia, as pessoas também não podem morrer durante o fim-de-semana, porque a autópsia só é feita na 2f. Então e porque não se revoltam com aqueles que não socorreram logo a senhora que ficou encarcerada no carro dela quando houve o choque em cadeia na Vasco da Gama? Ela esperou 3h, presa no carro dela e morreu. Felizmente ou infelizmente a senhora era viuva e não tinha filhos, mas é menos que o David? Qualquer pessoa que recorra às urgencias é menos que ele? Então porque não falam dos outros?

    Nada contra o teu texto, acredita, apenas me entristece e revolta que as pessoas só saibam vir aos blogs e às redes sociais "chorar" alguém que não conhecem, porque é chocante para elas saberem que o sistema de saúde é uma autêntica desgraça, mas nunca tentaram fazer para melhorar. Atrás do ecrã somos todos fortes, claro.

    ReplyDelete
    Replies
    1. Sabes, eu falei neste porque calhou, porque senti essa necessidade. Mas já escrevi sobre outros aqui no blog. E continuarei a escrever porque é das poucas formas de liberdade que neste sentido temos. Ou nos juntavamos todos e tentavamos acabar com isto de vez ou tudo voltará a acontecer.

      Eu percebi o teu texto. Se passares por cá mais vezes verás que quando tenho tempo falo de algumad noticias.

      Se eu tivesse acesso a quem cometeu tamanha negligência não tinha problemas em dizer o que penso Vanessa... Ainda somos livres a esse ponto, até ver!

      Delete
  5. Infelizmente... Problema não é o hospital, problema é mesmo a forma como este país é gerido. Quando temos um país, em que para aí desde há 10 anos, todos os anos no minimo existe um caso gravissimo a nivel altos, de corrupção e nunca ninguém vai preso ( foi o Socrates por conviniência, porque entretanto não se falou mais dos vistos dourados...), e que a preocupação é recuperar bancos com dinheiro de contribuintes, e que os bancos foram ao charco porque fizeram empréstimos com dinheiro que não tinham, não há hipótese..

    ReplyDelete
    Replies
    1. Quando eu falo em hospital o resto está subentendido querida Sofia. Compreendes? Isto é tudo uma bola de neve e as culpas começam sempre naqueles que mandam e nada fazem. E depois ficamos nós com culpa nos ombros que os colocamos no governo...

      Delete
  6. Estou tão chocada. Já falei tanto sobre este assunto ao longo do dia já que a revolta e raiva é tanta ...:( nem quero, NEM QUERO imaginar o que estará a passar esta família e amigos...nem dá para imaginar...:(

    ReplyDelete
  7. Acho graça como as pessoas criticam o facto de se falar só no David! Não é só o David, claro! Mas é uma notícia que choca e por isso fala-se. O David não era mais que ninguém, mas também não era menos!
    E certamente ninguém quer que hajam mais "Davids" por isso falem dele, da história dele e do que fizeram (ou não) por ele!
    Os culpados? Podíamos enumerar uma lista deles...

    ReplyDelete

Latest Instagrams

© Joana. Design by Fearne.