May 31, 2015

"Crónicas de uma vida que se vive todos os dias" [Chiado Editora]

Autor: Diana Gaspar Duarte
Data de publicação: Janeiro de 2015


Sinopse

A vida não é cor-de-rosa. O amor não se vive numa cabana. As relações não são perfeitas. As dificuldades fazem parte de nós e a vida nunca vai parar de nos surpreender. Sabendo tudo isto, continuamos desajustados à vida, esperando e desesperando porque queríamos que a vida fosse cor-de-rosa, que o amor só precisasse de uma cabana, que as relações fossem perfeitas e que a vida não tivesse dificuldades. Sabemos uma coisa e esperamos outra.
Acredito que podemos sempre mudar o significado da nossa história e a cor da nossa vida. Nunca sabemos o que o destino nos reserva, mas podemos mudar e transformar aquilo que a vida nos vai proporcionando.
A vida não é cor-de-rosa, mas pode ser clara, brilhante e cheia de vida. 



Opinião:

Ao longo das 160 páginas, a autora ensina-nos que as palavras se misturam com os sentimentos. Mostra-nos que as relações têm altos, mas que também têm baixos e que a vida é imprevisível. Num dia estamos bem, noutro estamos mal. Este é um livro sobre sentimentos, sobre amor, sobre o nosso dia-a-dia. 

E como a Diana Duarte escreve: "Não precisas de palavras caras. As palavras sentidas não têm preço, e assim sendo é indiferente se caras ou baratas." - E é verdade, não é? O ser humano precisa de sentimentos reais e verdadeiros, precisa de sentir em vez de medir as palavras. É preciso sentir e deixar que tudo o que trazemos connosco, junto ao nosso peito, chegue aos outros pela verdade e não pelo preço das palavras. É preciso gritar ao mundo sem medos, enfrentá-lo sem medos. Não ficarmos presos pelos medos. É necessário pintar os dias com cores alegres, com significado. 

Este é um livro ideal para todas as mulheres que adoram escrever, que adoram ler, que adoram sentir. Eu faço parte dessas mulheres. Por isso, é que este livro encaixou tão bem em mim. Nós, mulheres e homens, fazemos os nossos dias, vivemos cada dia sem saber como será o próximo. Todos os dias nos trazem sentimentos diferentes, sentimentos que desconhecemos. E não é a vida feita disso mesmo? Desse turbilhão de sentimentos? De pessoas a correr de um lado para o outro? Ora felizes, ora tristes? Os sentimentos são vida e a vida são palavras. Palavras que só existem por cada sentimento nosso. 

Como o livro nos fala lá mais para a frente, por vezes as maiores guerras são travadas em casa, com os nossos, com aqueles que mais gostamos. E também é verdade, não concordam? Aqueles que mais nos fazem falta, aqueles que mais nos são, que mais nos dizem, são muitas das vezes aqueles com quem mais discutimos, com quem perdemos tempo em discussões, chatices, mas sem eles não éramos nada! E é assim mesmo que a vida corre. E é assim mesmo que a vida é. 

Na minha opinião, o título do livro não poderia estar mais correto. É um livro de crónicas, umas maiores do que outras, crónicas de uma vida que poderia muito bem ser a nossa, crónicas do dia-a-dia, crónicas com sentimentos bons e sentimentos maus. Afinal de contas, a vida tem dias bons e dias maus! 

A autora conseguiu o pretendido e eu recomendo sem dúvida a leitura deste livro. Lê-lo poderá fazer-nos entender que a vida deve ser vivida sem medos e com mais felicidade do nosso lado. 




Em parceria com: 

1 comment

  1. Fiquei curiosa,:p

    Another Lovely Blog!, http://letrad.blogspot.pt/

    ReplyDelete

Latest Instagrams

© Joana. Design by Fearne.