May 14, 2015

É tudo uma questão de falta de educação

O assunto já está mais do que falado, mais do que comentado e criticado. De qualquer forma e porque já não é a primeira vez que me refiro a bullying por parte dos mais jovens, vou tornar a falar sobre isto. E agora que escrevi esta frase, apercebi-me que foi na semana passada que escrevi o último texto sobre o bullying. O que quer dizer que estamos a ir de mal a pior e que tal como se ouvem relatos diários de mulheres que são mortas pelos maridos, também se ouvem cada vez mais relatos de agressões em escolas. 

O caso pode ter acontecido há um ano atrás, mas continua actual. Afinal de contas este é o pão nosso de cada dia. A única pergunta que me resta fazer é: onde estavam estes pais? 

Infelizmente, eu não tenho a tão desejada resposta, mas também sei que não existe outra pergunta possível. 

Os dias vão passando, e, como já sabem tenho alguma proximidade com adolescentes, e tento quase todos os dias incutir-lhes algo mais para além do que se ensina, mas o dever de dar a educação é dos pais. Ser pai ou mãe, não é apenas dar-lhes os bens materiais que precisam, não é dar-lhes dinheiro. É preciso tempo. Essencialmente é preciso tempo. E da experiência que tenho, não vejo muitos pais com tempo para os seus filhos. A mim preocupa-me, porque sei no que provavelmente se irão tornar num futuro próximo. Alguns provavelmente tornam-se delinquentes e pessoas mal formadas, como as jovens que aparecem neste video que surgiu recentemente. Outros, é possível que se tornem pessoas com um ego maior do que 10 pessoas juntas, porque nunca lhes faltou nada materialmente e porque os pais deixaram que eles valorizassem as marcas.


Infelizmente, é isto que se passa. A educação, as conversas, o tempo para os adolescentes começa a desaparecer. As crianças crescem e os pais deixam-nos numa autonomia que não é a mesma do antigamente. Ser mais autónomo e aprender a desenvencilhar-se sozinho é óptimo. Porém, convém que não os deixemos sozinhos, a tomar as suas próprias decisões a todos os níveis. Hoje em dia, acho que os jovens precisam muito dos adultos. Eles crescem mais devagar do que nós julgamos. Podem ter altura, podem parecer crescidos, mas não o são. A mentalidade não evolui tão rápido como podemos pensar. E eu tenho a certeza do que digo. Quer gostem ou não, eu tenho a certeza. 

A melhor maneira de nos aproximarmos deles é saber ouvi-los, saber dar a volta à situação e tentar apoiá-los e chamá-los à razão. Assim, parece fácil fazer, mas eu sei que não é. Só que não existe outra forma. Sentá-los e perguntar o que se passa, tentar brincar, tentar entendê-los para que eles se abram connosco é a única forma de tentar ganhar a sua confiança e conseguir chegar mais longe. É a única forma de tentar combater estas situações. Não vale a pena bater, vale a pena saber castigar e retirar o que tanto gostam nas alturas certas. Vale a pena passar valores. 

Eu não faço a mínima ideia do que passou pela cabeça destas miúdas ou de outras que façam precisamente a mesma coisa, a única coisa que sei é que em casa ninguém as educou. E é de cada que a educação começa. É dada pelos pais. A atitude que vi no filme era de alguém que num futuro próximo não vai ser ninguém, que bate sem razão. É uma imbecilidade. A mim entristece-me. Andar na rua e pelos autocarros e ouvir e ver determinadas atitudes de adolescentes, dá-me cabo dos nervos. Este é um exemplo de bullying na escola, mas tenho a certeza que existiram muitos mais e piores até. Não cabe na cabeça de ninguém. 

Abram os olhos, pais. Abram-nos a tempo de travar situações destas.
Não defendam sempre os vossos filhos. Eles erram. Como todos nós. 

Por muito que queiram ser bons pais, é preciso duvidar da veracidade do que os vossos filhos vos podem dizer. Eles são seres humanos como os outros, e para se salvaguardar mentem. Para não os castigarem culpam adultos (professores e educadores) e os colegas também. 

3 comments

  1. Texto brutal Joana! Concordo com tudo que disseste, penso que educação vem de berço.
    Parabéns pelo trabalho que tens e dedicas nesse blog fantástico :)

    ReplyDelete
  2. Agradeço imenso à minha mãe por me ter dado umas boas sapatadas na hora certa! Não consigo perceber... Hoje em dia vive-se cada pessoa para seu lado. Como já li muitas vezes "I see humans, but no humanity"
    xoxo, Ana

    The Insomniac Owl Blog

    ReplyDelete
  3. Quando era mais nova os meus pais davam-me autonomia total e não andei a fazer destas coisas. Mas pronto, da maneira como as coisas andam, acho que o problema é os pais acharem que os filhos são uns santos e só os filhos dos outros é que fazem destas coisas...

    ReplyDelete

Latest Instagrams

© Joana. Design by Fearne.