April 22, 2015

Coisas que me encanitam...

Isto hoje é que é mesmo um daqueles desabafos, mas estou certa de que vão existir por aí muitas "Joana's" e que tal como eu já devem ter tido o dito momento de revolta interior. Pois, interior. Quiçá um dia destes, próximo, não passe para o exterior mais directamente...


Pois que estou a falar mesmo do ser humano ser responsável, de saber impor-se e agarrar nas rédeas das coisas ou, no meu caso, da criançada. 

Já falei algumas vezes sobre crianças e sobre a relação que existe entre pais e filhos. Já disse que cada vez mais as relações entre os mesmos passam por momentos difíceis, conturbados. Contudo, não posso fechar os olhos relativamente à relação que existe entre as crianças e os professores, ou as crianças e os educadores (como eu) que por vezes passam mais horas com os pequenos ou os adolescentes. Esta é uma daquelas relações que na minha opinião também está a ir de mal a pior. 

É raro o dia em que não ouço algo de errado numa escola, ou que algum professor não foi capaz de se impor de forma a que a turma ficasse quieta. A mim preocupa-me. É a formação dos pequenos. Formação essa pela qual passei, e acho que sai bem sucedida. Notas boas, comportamento bom, sem má educação, enfim... Tudo coisas que hoje em dia não vejo, nem reconheço nos mais jovens. Não que eu seja uma velha, que não o sou de forma alguma. Mas felizmente, para mim, tive um grau de educação de certeza maiorzito do que estes pequenos. Hoje em dia é mais fácil terem acesso a tudo o que querem, sabem perfeitamente que não é preciso fazer um grande esforço porque no fundo acabam por ter o pretendido, e sobretudo quando chegam àquela fase chamada no meu tempo de "fase do armário", nem tenho palavras para descrever. Se bem que no meu tempo a fase do armário era outra coisa. Era refilar, resmungar, querer estar sozinha e achar que podia ser dona e senhora do meu nariz (algo mais ou menos como isto). Hoje em dia passa por outros caminhos ou por outras coisas que a mim me encanitam. Mas encanitam a sério. Os pensamentos são cada vez mais focados em coisas sem interesse, palavras ocas que apenas trazem uma falta de vocabulário infindável, conversas de baixo nível, e outras tantas coisas que poderia dizer... 

Mas não quero perder o fio à meada. E o que realmente era minha intenção resmungar hoje é como é que algum adulto no seu perfeito juízo admite e observa que o menino ou menina A ou B não trabalha ou só conversa, e não se impõe? Quer dizer, sim senhora, reconheço que são terríveis, que falam imenso e que por isso se prejudicam. Mas onde está o pai ou a mãe que reclama? Onde está a professora ou a educadora que se chateia e põe os pontos nos i's? Ainda as há... pelo menos eu existo! Porém, admito que com o passar do tempo e da minha experiência, cada vez menos reconheço a capacidade de impor o que quer que seja aos adultos que tomam contam das crianças. 

Será por desmotivação? Falta de empenho? Sinceramente não sei. A única coisa que eu sei é que tento sempre dar o melhor, tento sempre dar a volta e brincar e dar o que acho que pode trazer algo de bom. Para além de educadora, professora ou mãe, é preciso ser-se amiga ou por vezes confidente. Não se educa só com regras, mas as regras fazem com que seja possível tudo o resto. É para andarem de mãos dados e o quanto antes pessoas. O quanto antes. 


4 comments:

  1. Mais uma vez leste o q me vai na alma, querida Joana... e sim, volta e meia e necessario deitar ca pra fora coisas que nos encanitam... faz bem a alma*

    http://matildeferreira.co.uk/

    ReplyDelete
  2. Não diria melhor! Há coisas que nos encanitam de verdade ;)

    Visita e segue pf, se gostares claro : http://o100espinhas.blogspot.pt/

    ReplyDelete
    Replies
    1. A seguir Ana Moura! Segue também e participa no passatempo! :)

      Delete
  3. Concordo tanto com este post, esta juventude está a entrar por um caminho sem saída. Vejo muitas vezes professores, deixarem os "meninos fazerem o que querem" para depois não terem os papas a ir à escola mandar vir ou muitas vezes agredir.

    Penso que pior do que os professores não sentirem autoridade, é a educação que os meninos têm em casa, ou a falta dela.
    Enfim, na minha altura - que não foi à muito tempo - os professores/educadores, ainda tinham ordem dos pais para por os meninos de castigo, ou pelo menos tinham dos meus pais...
    Depois ouvem-se queixas dos meninos adolescentes andarem na "má vida" ou insultarem pessoas, ou fazerem birras por não terem o que querem quando querem, tristeza :/

    » http://xibbycc.blogspot.pt/

    ReplyDelete