March 20, 2015

"Eu sou Deus" Pedro Chagas Freitas | Chiado Editora

A minha primeira opinião sobre um livro da autoria de Pedro Chagas Freitas em parceria com a Chiado foi sobre o livro "Ou é Tudo ou Não Vale Nada", agora chegou a vez de apresentar a minha segunda opinião sobre um livro do mesmo autor.

Confesso que estava reticente, pois era uma experiência nova, ter uma parceria com uma editora bastante conhecida e importante, acarreta em mim uma dedicação e uma responsabilidade muito grande em mostrar qualidade. É para isso que trabalho todos os dias. Mas logo senti que o desafio tinha sido superado. A receptividade de algumas pessoas que leram foi extraordinária, recebi mensagens de pessoas a dizer que finalmente tinham entendido algo, que antes não entendiam a mensagem, descobriram que é preciso lê-lo com atenção. A resposta da editora foi muito boa em relação à crítica, e a resposta do autor também. Sim, porque quem já vem acompanhando o meu blog, sabe que tive o gosto de estar com o autor numa sessão de autógrafos e que já lhe tinha enviado anteriormente outro post sobre um dos seus livros - Prometo Falhar - o primeiro que li. 

Posto isto, vamos lá tentar mostrar como o livro "Eu Sou Deus" merece um lugarzinho no céu. 

Primeiro, vamos ler a sinopse:

Desconcertante, Pedro Chagas Freitas ensina-o, no seu estilo irreverente e único, a olhar para o mundo de um ângulo completamente diferente. Um ângulo que elimina, sem misericórdia, conceitos e percepções que você julgava intocáveis.

“EU SOU DEUS” não é sobre fazer as coisas direitas – mas sim sobre ir ao encontro do seu direito. O direito a respirar, o direito a pensar, o direito a ser. O direito a viver.

“EU SOU DEUS” não é sobre aquilo que você não pode fazer – mas sim sobre aquilo que você pode, e deve, fazer. Você pode sentir medo, pode sentir inveja. Você pode sentir aquilo que o mundo insiste em dizer-lhe para não sentir. Você pode ser o seu mundo. Por isso: porque não mudar o mundo?

“EU SOU DEUS” não é um livro de auto-ajuda. Mas, se você o ler, pode auto-ajudar-se. Tenha cuidado.
(retirada da página oficial)


Agora, vamos ler a opinião:

O livro "Eu Sou Deus" não pretende ser um livro de auto-ajuda, mas acredito mesmo que seja capaz de ajudar muito boa gente que anda por aqui no intermédio, no chove e não molha. A mais pura das realidades é que o autor não tem palavras a medir e diz tudo o que acha, pensa ou acredita neste livro. É como se fizesse questão de dar a todas as pessoas que pegam neste livro uma hipótese de abrir a pestana. Encarar a realidade do mundo em que vivemos e parar para pensar naquilo que somos e naquilo que pretendemos ser.

Quanto a mim, acho que nunca fez mal a ninguém. O livro conseguiu abrir-me um pouco mais os horizontes. Porque nós, os Portugueses, temos tendência para aceitar o que temos. Para quê lutar por algo mais? Para quê sermos ambiciosos? Acreditem que é verdade, tendemos sempre pelo que nos é mais cómodo. Mas eu confesso-vos que isso me faz alguma irritação. É por isso que gosto deste livro, abana-nos de um lado para o outro para entendermos que não interessa sermos apenas uma pessoa qualquer. Temos de pensar "Eu Sou Deus" - e tentarmos ser o nosso próprio Deus. Se calhar, se muitos achassem que eram pessoas mais capazes e o sentissem isso na pele ou a correr pelas veias acima, o mundo girava mais rápido. Quiçá. Quiçá.

É uma chamada de atenção para os que andam por aí a dormir ou para os que andam encostados à sombra da bananeira. E olhem que conheço muitos...

Este é um livro para ser lido sem ser deixado a meio. Faz-nos rir e ao mesmo tempo ao fecharmos a última folha, sentimos uma força de vontade de agarrar o mundo e mudarmos o que conseguimos, transformar e acrescentar algo mais. Marcar a diferença, nem que seja para algumas pessoas. Não nos devemos ficar pelo banal e pelo sem graça. Querer com paixão, querer com força. Querer com urgência. Como podemos ver nestes excertos retirados do livro:

Fornicar amor. É isso, e só isso, que vais fazer comigo quando me levares para a tua e para a nossa cama - e é sempre de dois a cama em que dois se fazem assim: como assim tem de ser. Até à última gota fornicar amor. Nem fornicar nem fazer amor - fornicar amor. Fornicar-te como à mais prostituta das prostitutas. E amar-te como à mais única das amadas. 
Porque, no fundo, tudo aquilo de que precisas é um corpo para respirar e um mundo para viver. Pode ser uma merda, pode não valer a ponta de um corno. Mas é o mundo: o teu mundo. Aproveita-o. E respira. Até que te falte a respiração.
Porque é só por aquilo que te faz perder a respiração que vale a pena respirar. 

Estão a entender agora? É preciso esta urgência toda nas nossas vidas, para sermos melhores e diferentes. E temos mesmo de acreditar nisto, senão o mundo não anda para a frente. 

O autor mostra-nos que não precisamos ser os melhores da turma, com as notas mais altas. O que nós precisamos é de nos tornarmos os melhores para nós mesmos. Os mais criativos, os mais imaginativos. Marcar a diferença certamente não é sinónimo de agir como um  papagaio. Só fazendo diferente se chega mais longe, só assim se chega à outra margem. Aos outros. 

E o que dizer daqueles queridos que dizem ser amigos de toda a gente e mais alguma? Aqui está presente a forma como a pessoas tentam ser ou tentam mostrar-se bem com tudo e todos, e na realidade é tecnicamente impossível, porque somos imperfeitos e não somos compatíveis com tudo o que nos rodeia. Podemos ser cordeais, mas não amigos. Mais uma vez a capacidade de escrita presente no livro desarma qualquer um. O autor faz-nos raciocinar. É tudo uma grande treta. Amigo é amigo. Mas acreditem, se lerem o livro vão entender perfeitamente! Não há como dizer que não!

Por estas e outras razões afirmo que este livro merece mesmo um lugarzinho no céu. Sem querer ajudar, ele ajuda. Ele, o livro, e ele, o autor. 

Se até agora não compreenderam bem a sua escrita, não hesitem em ler o livro, e depois outro. Eu fiz isso, e resultou comigo. Fez todo o sentido. E o "Eu Sou Deus" deve ser lido por todos nós. Sem dúvida. Um excelente livro com amor à mistura, paixão, politiquices, palavras engraçadas e muito mais. 

3 comments:

  1. Replies
    1. Aconselho Cátia! É muito bom!

      Delete
  2. Talvez já saiba que próximo livro hei de ler ;)
    Obrigada!

    atualidadesbyclaudia.blogspot.pt

    ReplyDelete