February 21, 2015

O ser-se mulher tem muito que se lhe diga...

Este é um daqueles temas que dá logo vontade de fugir. e eu sou mulher, por isso é que posso afirmar que tem muito que se lhe diga! 

Nós somos difíceis por natureza, mas é quando ligamos o complicómetro que a coisa fica mais negra. Mas também é preciso admitir que são também as mulheres que conseguem atingir grandes vitórias e que lutam contra o tempo.

Já pensaram em todas as mulheres que conseguem atingir metas altíssimas? Tenho a certeza que cada vez são mais porque todos os dias existem mais mulheres a lutar pela independência, mas para aqueles que se esquecem este é aquele tipo de post que é um desabafo e um alerta, digamos assim, nem sei bem ao certo o que me deu para escrever sobre isto mas... 

Nós, mulheres, temos de fazer sempre mil e uma coisas. Temos de andar de um lado para outro lado, temos de conseguir ser fieis a nós mesmas, acordar cedo - para as que trabalham - e depois gerir o horário de trabalho com os outros afazeres, pelo meio ainda se tem de comer e ter tempo para a parte pessoal, e foram o trabalho, comer, respirar (também dá jeito), também temos de ser capazes de ter tempo para nos arranjarmos e andarmos com um sorriso no rosto. Não é tarefa fácil gerir o stress diário. E é por isso que o ser-se mulher tem muito que se lhe diga... Precisamos de dias longos, longos, mas não existem, têm sempre 24h, nem mais um minuto. 

E não vale a pena baixarmos os braços e tornar-mo-nos em mulheres desinteressantes, que tem tanta coisa para fazer que não são capazes de de tirar nem que seja 10 minutos para uma pequena maquilhagem básica, outros 5 para escolher o que vestir - isso todas somos capazes - e se ajudar eliminem aqueles fatos de treino chatos e enfadonhos, porque hoje em dia já existem uns bem giros, mas que são próprios para o ginásio. Assim, talvez consigam dar a volta à questão. Isto, para as que baixam os braços mais rapidamente ou que se encostam à sombra da bananeira. Já para aquelas que gostam e perdem os tais minutos a arranjarem-se, estão muito bem! Não desistam, mas, se existir aquele dia em que vos apetece o pijama e o sofá, também não lhe digam que não, afinal de contas também merecemos. Nem tanto ao mar, nem tanto à terra. E eu falo por experiência própria, ainda andava na escola quando percebi que tinha de ir aperfeiçoando a coisa, quando entendi que nós mulheres temos sempre de ter o chip ligado no upgrade - sem exageros, ok? E é o que tenho tentado fazer ao longo do tempo, mas não pensem que sou a super mulher, há dias que não tenho grande vontade ou que a paciência é tão pequenina tão pequenina que nem para isso serve, mas não fico de braços cruzados, aí é que está a diferença. 

O truque são pequenas rotinas básicas que nos levam ao não baixar de braços e não cruzar os braços. Afinal de contas, ser-se mulher tem muito que se lhe liga, é preciso ter tempo para tudo, para trabalhar, para viver as coisas mais pessoas, para nos arranjarmos e acima de tudo para respirarmos e sermos felizes a fazer pequenas coisas que tenhamos realmente gosto. É difícil e acredito que todas ou quase todas as mulheres entendam este texto. 


No comments:

Post a Comment