February 05, 2015

Hoje é o dia mundial da luta contra o cancro

O facto de estar novamente com mais uns minutos disponíveis para a leitura faz com que ganhe mais vontade de escrever, como em tempos escrevia. E se há tema que me sinto capaz para falar é sobre este. E não, não passei por nenhuma situação destas, pelo menos na primeira pessoa. Já passei por ela, já a senti por perto, já vi partir demasiadamente rápido alguém de quem gostava muito, alguém querido, alguém para quem já escrevi aqui uma vez. Nessa altura era bastante nova e não estava totalmente informada, mas passado alguns anos fiz voluntariado. A oportunidade surgiu, o projecto era em grupo e durou aproximadamente um ano. Sei que muitas coisas ficaram por fazer, sei que saí de lá, provavelmente, demasiado cedo para o que ambicionava, mas se hoje me encontram assim despachada, realizada e cheia de ocupações, na altura andava cabisbaixa e com tempo a mais para pensar em desgraças e problemas, o que me levou a passar à frente desse projecto. Mas num ano fazem-se muitas coisas, aprende-se e conhecem-se pessoas que valem a pena. Não sei se poderei dizer conhecem-se, mas certamente posso dizer que pelo menos tive a sorte de me cruzar, de me encontrar, de ouvir relatos bons. E não, não me estou a gabar, nada disso. Felizmente cruzei-me eu, cruzou-se o grupo com quem trabalhei e possibilitámos que na altura alunos e professores se cruzassem com pessoas como a grande Simone de Oliveira, entre mais alguns nomes. Refiro-me a este por ter sido uma das pessoas que passou por uma situação dessas, e que, apesar de tudo isso, é uma pessoa com uma garra e uma força imensa. O que me leva a pensar, se não deveríamos todos de ter essa força, se não nos cabe a nós mostrar que somos capazes. Acredito todos os dias um pouco mais que a resposta é SIM. 

Tudo isto para dizer que foi um prazer ser voluntária durante esse tempo, que foi um privilégio trabalhar no apoio a quem infelizmente a vida não foi grande amiga e decidiu presentear com o cancro da mama. Sim, esse maldito. 

Quando este dia chega, acabo sempre a lembrar-me desse ano ,com um sorriso no rosto, claro. 

2 comments:

  1. Replies
    1. Mesmo Daniela. Eu gosto de falar sobre, tenho à vontade para isso, mas é um assunto muito difícil!

      Delete