November 16, 2014

Para o afonso...

Antes de mais, infelizmente quando acontecem coisas más sou transportada para um lugar diferente, um lugar onde deixo sair tudo aquilo que sinto para o papel, sobretudo quando os dias são parecidos com os de hoje - cinzentos - em que se acorda e se chega ao final do dia e as notícias permanecem assim, injustas e cinzentas. Resta-me escrever, pequenote...

Ainda há dois dias falei de ti, sobre a tua recaída; a vida é injusta mesmo...

Sabes, posso apenas ter-te visto a brincar uma ou duas vezes na rua, apesar disso, sei que representavas força e coragem para quem te queria bem e para todos aqueles que torciam por ti e queriam que ganhasses. Mas aqui para nós, ganhaste muito. E deste muito a ganhar àquelas pessoas que te amam. Infelizmente, agora não será mais possível continuares a mostrar ao mundo que eras um lutador. Mas, olha...nunca o deixarás de ser; tenho a certeza, querido, que todos aqueles que nutriam e nutrem um enorme amor por ti, irão para sempre, lembrar-se de cada coisa que foste capaz de lhes ensinar. Todos os sorrisos, todas as brincadeiras; todos os bons e os maus momentos. 

Maldito tumor tinha de aparecer, não é? Maldito mesmo que não se quis ir embora sem ti, não quis deixar-te ficar por cá com os teus. Nunca irei aceitar tamanhas perdas... Não sou mãe, não sinto como mãe, nem como pai; mas sinto. Não era suposto os pequenos irem antes dos mais crescidos, a vida não foi feita dessa forma, porque é que agora teima em dar tantas e tantas voltas que acaba por trocar tudo?! Trocou tanta coisa e acabou por te levar. Nem te deixou chegar aos 10 anos, como é que poderá caber na cabeça e sobretudo no coração das pessoas? Dói só de imaginar... 

A vida sempre me ensinou que nos pode dar tudo, mas também me ensinou que nos pode levar um outro tudo. Ela vai dando, e, infelizmente também vai levando. E levou um lutador que tentou de tudo para vencer as voltas e reviravoltas desta pequena vida. 

Para mim, infelizmente, tornou-se impossível reagir bem a tudo o que envolve tamanhas perdas, desde que passei por uma. Sejam conhecidos, ou desconhecidos. Neste caso, uma pequena criança. Sinto o coração apertado... Apenas porque não era suposto ser assim. Não era.

Descansa em paz, pequenino
Que os teus fiquem protegidos e arranjem forças, daquelas que aprenderam a ter contigo.


Para os que não sabem do que estive a falar: 

Post a Comment

Latest Instagrams

© Joana. Design by Fearne.