September 02, 2014

Prometo falhar

Hoje vou falar-vos de outro livro que comecei a ler nas férias, mas que ainda não está acabado! Sim, eu li praticamente três livros. Quem me conhece sabe que gosto de ler. Sabe que sou selectiva, mas que gosto muito de ler e sem medo do número de páginas que o livro possa ter. O meu namorado conhece-me, e sabe que já tinha falado sobre vários textos deste senhor que escreve tão bem e de uma forma, diria, tão diferente. Pois é, Pedro Chagas Freitas. O seu livro mais recente chegou às minhas mãos no dia 11 de Agosto. Já vou a mais de metade do livro, mas a verdade é que a vontade de ler é muita, mas quando um livro é bom nós não queremos terminá-lo (e este é um desses casos!). 

Confesso que inicialmente, foi tudo uma novidade. Uma escrita diferente, que me deixou intrigada e com mais vontade de ler. Tanta vontade que a minha viagem do Algarve para o Barreiro foi a ler o livro como se não houvesse amanhã. Sou assim. E quando gosto de um escritor(a), acabo sempre por tentar ler todos livros que possam ter sido escritos, será que vai ser assim?

É um livro óptimo. É uma escrita inteligente, que capta toda a atenção deste mundo. É um livro para quem gosta de amor, quem o tem, quem sabe viver e para os que não sabem também. É um livro desconcertante e é por isso que se torna tão bom. Pelo menos, na minha modesta opinião. Numa palavra? Amor. Em duas palavras? Desconcertante e amor. Em três palavras? Obrigado meu amor. (Sim, obrigado a ele, pela prenda, por conhecer os meus gostos.)

No comments:

Post a Comment