December 18, 2013

A minha história de amor #3

Apetece-me falar-te. 

Posso nem saber por onde começar, mas hoje quero fazê-lo... 
Digo-te que os dias contigo são bons desde sempre, desde as primeiras conversas, essa é a verdade. 
Não espero, nem nunca esperei que a vida fosse sempre um mar de felicidade extrema, nunca acreditei, porque sei que existem dias mais cinzentos, dias em que as pessoas que se amam chocam e choram, aqueles dias em que mal se conseguem ver. Mas quem disse que isso não fazia parte de amar? O amor é tanta coisa... Mas o amor contigo é melhor. O amor és tu. Foste tu que o fizeste acontecer. Se o meu coração estava fechado, abriu-se para ti. Deixou-te a porta completamente aberta e jogou a chave fora. O meu coração só te quer a ti por perto, ele sabe que apesar de cada momento mau, de cada palavra, só se sente completo e só sabe ser feliz se o teu quiser seguir as mesmas batidas. E o meu bate. Bate muito. Bate tanto só de te sentir chegar, só de te sentir perto dele. Ele quer-te.

Eu sei que provavelmente tinha de ser eu a abrir o jogo, a escrever assim, e talvez não me importe...
Se te quero tanto, se vejo em ti o meu futuro, se luto todos os dias, é por nos querer bem, por te querer comigo, por te querer bem. Vejo em ti o futuro mais risonho que podia pedir. Um futuro com altos e baixos, com sorrisos e lágrimas, mas vejo o nosso futuro. E eu não quero outro. Não quero um futuro com mais ninguém. É contigo. É com o teu toque. É com o teu jeito. É com cada pormenor teu, seja bom ou mau, os maus vamos relembrando e moldando... Mas sabes, mesmo com todos eles, é por ti que chamo. E é por ti que chamarei sempre... é a ti que vou procurar sempre. A ti meu amor. É a ti que vou querer ouvir a refilar e a dizer que não gostas de brilhantes, que achas o vestido comprido ou curto; é a ti que vou picar dizendo-te que só compras pólos com riscas azuis; é a ti que vou querer dar uma palmada de carinho a cada vez que discordares, a cada vez que me picares. É a ti que vou querer ouvir meter a chave à porta após um dia de trabalho. É a ti que vou querer receber com milhares de beijos, mesmo nos dias maus, mesmo nos dias em que chegar furiosa do trabalho, porque é em ti que irei encontrar a paz. E disso não duvido nunca. É a ti que vou querer ver quando for eu a chegar a casa depois de ti, é a ti que irei preparar surpresas, é a ti que vou querer espicaçar quando te vir comprar roupa para um filho nosso, porque ao que parece é mais fácil escolheres, sempre tem menos brilhantes que a roupa da mãe... mas, é a ti que vou adorar ver-te com ele (seja fotocópia ou não!!), a brincar com ele, a virá-lo ao contrário e a dar-lhe um mimo, a fazê-lo rir tanto quanto me fazes a mim. É contigo que fará sentido. É contigo que quero passar de dois a três (ou quatro). Basta que seja nosso. 


 O amor é isto. É andar na rua de mão dada, é beijar-te quando não esperas, é querer-te mesmo quando estou cheia de raiva, é amar-te mais do que a própria vida. É entregar-te a minha vida, fazê-la tua. Fazê-la nossa. 

Podia não saber o que te dizer...mas saberei sempre o que sinto...
Amo-te João.

No comments:

Post a Comment