January 13, 2010

Help me

Dá-me a tua mão; peço-te apenas isso. Não precisas de me contar histórias bonitas, com palavras escolhidas meticulosamente onde os desfechos são naturalmente brilhantes e terminam sempre com «felizes para sempre».  Dá-me a tua mão; e não me contes mentiras. Não me enganes. Tu não precisas de me enganar, só precisas de me dar a tua mão. Escuta-me, para dar a mão não é preciso contar falsidades. Podes apertar bem a minha mão? Eu já sei voar sozinha. Mas é melhor voar acompanhada. Queres fazer-me companhia? Não venhas, se não quiseres. Não me importo. Se vieres, sem sentires vontade de voar comigo; vai-te embora. Se vieres, porque o teu coração te pede isso. Anda, dá-me a tua mão. Eu prometo que agarro a tua mão com força. Deixa-te das histórias, dos contos de fadas (que não existem) e vem. Vem comigo. Vem comigo, se assim quiseres. 

No comments:

Post a Comment