December 12, 2009

De mim para mim

Quantas são as vezes em que escrevo para mim própria? Também preciso de me alimentar das minhas próprias palavras, muitas vezes são elas que libertam. De vez em quando escrevo de mim para mim, sou o emissor e o destinatário. Às vezes escrevo textos para me despedir de algumas coisas, para encerrar um capitulo, para dizer a mim mesma que o que era já não será mais, para deixar a forma como vivi um dia. É verdade que agora foi uma dessas fases, e uma verdade ainda é maior é que sinto-me muito bem com a mudança. Talvez ainda não tenha descoberto muito bem onde esta alteração me vai levar, para onde vou ser transportada; mas, espero que seja para um sitio bom. Que o próximo rumo seja melhor que o ultimo. É o que desejamos sempre, algo melhor do que já tivemos não é? Não custa nada. Às vezes faz-nos falta mudar, e faz-nos falta comunicar-mos a nós mesmos essa mudança. Não ficarmos apenas pela intenção. Eu pelo menos não fico só pela intenção. Não fiques tu também. 

« Esta carta é também uma despedida do meu antigo modo de viver, é acima de tudo uma carta para mim própria. » Margarida rebelo pinto in "o dia em que te esqueci " 

Post a Comment

Latest Instagrams

© Joana. Design by Fearne.