November 25, 2009

Recuperando-me

Por mais voltas que a minha cabeça dê e me impeça de dormir mal apago a televisão e deixo em paz o meu telemóvel, existe apenas uma coisa onde eu tenho certeza: estou a recuperar-me. Sem pedir nada a ninguém, apenas dou a mão ao que um dia eu já tive, às pessoas me me provocam sorrisos e me fazem feliz. Porque por mais voltes que a minha cabeça dê, ela vai sempre te negar permissão para entrares de novo no meu mundo. Neste momento, preciso de respostas, é verdade. Mas desta vez, deixaram de ser tuas. Já não preciso das tuas respostas. Sabes porquê? Mesmo que um dia me queiras dar algumas respostas, eu até posso ouvi-las,mas, nessa altura (e agora) eu já tenho resposta para todas as «perguntas» que te fiz. Agora deixa-me pensar noutras coisas, liberta-me da prisão onde me colocas-te. E não, não estou a falar de sentimentos. Isso era o que tu querias e o que todos pensavam. Liberta-me desta prisão, a prisão onde me fizeste mudar, onde me fizeste passar a ter receio, onde me fizeste passar a pensar 3514613 vezes antes de agir, bastava pensar duas vezes. Eu sei que bastava, até porque eu penso demais. Liberta-me. Eu quero ser feliz. Mereço isso, e sei que posso sê-lo (mas jamais contigo). Cada dia que passa, me liberto mais de ti. É verdade. És apenas uma pessoa, como tantas outras. Vá, liberta-me. Já chega desta brincadeira. Eu, libertei-me. 

No comments:

Post a Comment