November 28, 2009

Porta da música

O que posso dizer de amizades, posso dizê-lo também da música. Todos os dias, o mesmo ritual, pegar no mp3, ligar e colocar os phones. Ouvir as minhas musicas, conforme o meu estado de espírito. Conforme eu me sinta, assim a música me ajuda. Preciso da música, preciso de ouvir todos os dias. Sou uma pessoa melhor quando ouço música, quando posso fechar os olhos e cantar. Sou mais feliz, sou mais eu. Faz parte de mim. Eu não seria a mesma Joana, se me tirassem a música. Os meus dias iam ser muito mais tristes e parte de mim ia-se embora. Fechavam-me uma porta, que nunca deixo sequer semi-fechada. Preciso de ter a porta da música sempre aberta. Se precisar de fugir por alguma razão, algum momento indesejável que me apareça a frente, basta fazer uma coisa «mp3 querido, onde estás?» e volto para o meu mundo. Um mundo muito meu, que me faz falta. E que jamais me separaria dele. A música faz-me sorrir. Dá-me vida, e é de vida que eu preciso. Se quiser recordar os meus tempos de 5º - 9º ano, basta passar umas quantas kisombas e vou lembrar-me de tudo o que um dia vivi. Vou de certeza, e embora já não ouça tanto quanto ouvia só consigo dizer uma coisa: «bons tempos, que saudades». Se me apetecer rir, dançar, pular posso pegar num house qualquer que encontre na minha lista de músicas. Posso pegar em todas as músicas, as músicas assuciam-se a momentos da nossa vida. É sempre assim. Mas a música para mim é mais do que lembranças de momentos; é vida, é muita vida, é felicidade e companhia. É minha, a minha música. 

No comments:

Post a Comment